A rainha Letizia, tanto dos novos projetos da AECC

A rainha Letizia participou hoje de uma reunião de trabalho da equipe de administração da Associação Espanhola Contra o Câncer (AECC), que colocou o tanto de seus novos projetos e das atividades que tem previstas levar a cabo, em 2018.

A rainha Letizia, junto ao presidente da AECC de Madrid, Ignacio Muñoz, durante uma das habituais reuniões de trabalho desta associação. EFE/Javier Lizón

Artigos relacionados

Quarta-feira 15.11.2017

Sexta-feira 22.09.2017

O encontro, que Letizia comparece todos os anos como presidente de honra da AECC, desenvolveu-se na sede da organização, em Madrid, por espaço de mais de hora e meia.

A rainha tem conhecido nas últimas iniciativas promovidas pela AECC com o fim de “conseguir uma verdadeira transformação social na luta contra o câncer” e “iniciar um caminho de renovação interna para dar resposta às necessidades das pessoas de uma forma mais próxima e direta”, informa a associação em um comunicado.

Entre elas, está a de ampliar as 24 horas do dia, o serviço telefónico de informação para doentes e familiares, o que poderia triplicar o número de beneficiários.

Mais de 400.000 atendidos pela AECC

Durante o ano de 2016, último ano de que existem números fechados, dos profissionais e voluntários da AECC atenderam 465.686 afetados pela doença.

A equipe de gestão, liderada por seu presidente, Ignacio Muñoz, também avançou para a rainha Letizia alguns detalhes da VII edição do Fórum contra o Câncer que, como cada ano, organizar-se-á em Madrid, por ocasião do dia mundial da doença, que se comemora a 4 de fevereiro.

Nesta ocasião, o tema central são os problemas sociais não visíveis que têm que enfrentar os pacientes e seus familiares, como podem ser os de escopo de trabalho.

Monteiro comentou que no próximo exercício, a AECC continuará a apostar por “o talento e a internacionalização dos projectos de investigação oncológica”.

Desde 2011, a AECC foi a entidade social e privada, que mais fundos foi destinada a investigar o câncer, com 40 milhões de euros comprometidos em 250 projetos em desenvolvimento, canalizados através de sua fundação científica.

Com seu comparecimento a uma reunião de trabalho, que provavelmente foi seu último ato público este ano, Letizia renovou seu compromisso com o trabalho que leva a cabo a AECC, a primeira entidade em que assumiu a presidência de honra com carácter permanente.

A luta contra o câncer é um dos domínios onde a Rainha voltou-se mais durante 2017.

No começo de janeiro, já esteve em outro encontro de trabalho com a direção da AECC, e em fevereiro, inaugurou o Fórum contra o Câncer no preconizado por converter as escolas em grandes prescritores de saúde.

Em setembro, Letizia presidiu a entrega de auxílios à pesquisa, em um ato em que apelou para a unidade e o trabalho conjunto entre os diferentes especialistas de saúde envolvidos no tratamento da doença, sem esquecer a indústria farmacêutica.

No plano internacional, a Rainha foi em meados de novembro no México para participar da reunião de Cúpula Mundial de Líderes contra o Cancro (WCLS), onde também interveio para pedir os atores políticos e um maior compromisso na luta contra a doença, nas suas diversas modalidades.

A sua actividade neste terreno se completou com a sua assistência à Conferência Europeia “Saúde e tabaco”, que se realizou no Porto, em março.

Neste fórum, defendeu a adoção de medidas para reduzir o consumo de tabaco, porque “salva vidas” e lembrou que não fumo, combinado com uma boa alimentação e esporte, impediria muitas doenças.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply